Copyright!

Olá amigo blogueiro!

Se quiser usar meus textos em seus blogs é necessário autorização prévia, já que possuem direitos autorais de copyright!

Se necessita de conteúdo em seu blog e necessita que alguém redija para você me contrate! Eu não sou careira!
abraços!

Denuncie! Plágio é crime:

https://www.espacoblog.com/2013/07/como-denunciar-plagio-ao-google.html

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Grécia - Presente de Grego!


Fotos de Plaka, AtenasTerra de Platão e Aristóteles. Casa dos Deuses do Olimpo...

A Grécia, na verdade, se auto denomina "Hellas", já que a palavra "grécia" vem do turco "escravo".

Os gregos, na verdade, são helênicos.


Quando eu estudava francês, em Paris, fiz amizade com muita gente de vários locais do mundo, incluindo um gregoO nome dele era Petros! Vivia nos convidando para ir a Grécia. Um dia fomos!

Não recomendo fazer a viagem para lá durante o verão europeu. O calor é muito forte chegando, facilmente, a 50 graus. Passeios como subir até Acrópole se tornam muito desgastantes.

Atenas 

Athina, em grego (nome dado em homenagem a deusa grega Atena), é uma das cidades mais antigas do mundo (povoada há mais de 3.400 anos), é considerada o berço da civilização ocidental e da democracia. Somente por estes motivos já é uma visita muito mais que importante, é solene.

Me hospedei na casa da mãe de meu amigo e, portanto, tive uma visão um pouco mais intimista, além do que não tenho um hotel para indicar. Fico devendo.

Passamos alguns dias em Atenas e, além do passeio até Acrópole, fiquei encantada com Pláka, bairro boêmio onde se encontra tudo de tudo!! É o lugar mais arborizado em que estive por lá. Para sentir um ar mais ameno no verão, para sentar-se nas tavernas, espalhadas nas calçadas, para ver gente jovem e bonita é a melhor opção em Atenas. 


Acrópole

Construída por volta do ano 450 a.C. está a 150 metros do nível do mar. Patrimônio Mundial da Unesco e finalista na nova lista das Sete Maravilhas do Mundo. A subida cansa bastante, principalmente debaixo do sol, mas a chegada é uma conquista e a sensação é de estar no topo do mundo.

Sim, fiquei emocionada.  


A melhor forma porém, de apreciar a vista a Acrópole é em outro local: O Monte Lykavittos a 280 metros do nível do mar.
http://www.nosotras.com/wp-content/uploads/2014/09/atenas_130715219.jpg







O que comer:

O prato típico é a Moussaka! Provei o prato, feito em casa, preparado por uma nativa e ainda trouxe a receita para casa. É bom! Uma espécie de versão grega para a lasanha que leva camadas de purê de batata, carne moída, berinjela e molho de tomate.

O que beber:

Sorry, saiu na chuva é para se molhar: A bebida mais forte que já provei na vida é o Uzo ou Ouzo! Uma aguardente feita a partir do aniz. Uau.


O café na Grécia é gelado!! Se pedir um café ele vem com cubos de gelo. Se quiser quente terá que avisar antes!!! Descobri isto na Marina de Atenas!



                                                             

Ilhas Gregas


Partimos então em ferry-boat até a ilha de Kos, quase na Turquia (de Atenas para Kos são 370 km e até a costa de Bodrum, na Turquia, apenas 4 km).



Foram 13 horas de viagem. Uma viagem, porém, emoldurada pelo mar azul turquesa, restaurantes, jogos, cinema e as cabines para dormir.

Ilha de Kos ou Cos


Do grego, caranguejo (Na antiguidade era o emblema da moeda local). 

Apesar da ilha ter, por volta, de 30.000 habitantes, durante o verão, a lotação chega a 600.000! Mas a verdade é que vale a pena. Os experts em Grécia e mesmo a turma grega, que estava conosco, afirmam que é em Kos onde se encontram as mais belas praias da Grécia...

Hipócrates, pai da medicina, nasceu em Kos, no ano de 460 a.C., e fundou a escola de medicina. No centro da cidade há uma árvore Plátano onde, dizem, Hipócrates ensinava. A árvore então teria mais ou menos 2.500 anos!

Parece que Hércules também passou por lá...


Enfim, mitologia e história à parte, Kos é muito cheia de vida! É para ficar a beira da praia em um dos bares charmosíssimos da orla, provando pratos típicos e bebericando, enquanto contempla o Mar Egeu.

A noite é uma festa e lembra muito o burburinho de Búzios com boutiques, barzinhos e restaurantes descolados. Tudo ao som de muita música e muita alegria.



Talvez pelo fato de ter tanta gente jovem, os preços em Kos não são nada abusivos.

Para quem está pensando em curtir praias espetaculares e gente bonita o programa é mais do que válido. Para aqueles que buscam ruínas, mitologia e história, Kos também é um prato cheio. Há inclusive o castelo dos cavaleiros de São João para uma visita!



Bem, para terminar a questão do meu amigo grego Petros:

Durante a viagem até Kos, no ferry-boat, havia uma livraria.

Me interessei por um guia sobre Mykonos. Havia edições em inglês, italiano, espanhol e em grego. Quando fiz menção de pegar o dinheiro para comprar, Petros insiste que é um presente!

Porém, ele compra o guia em grego!! Então pensei naquela frase, que usamos muito quando o presente é estranho: Presente de grego. Então, eu ganhei um!! 

Logo me veio outra expressão a mente: "cavalo dado não se olha os dentes"! Agradeci, pois!

Este foi apenas o primeiro. Tem mais!



Em Mykonos (que significa Ilha Branca, descoberta em 1950), conheci outro Petros, só que este é muito famoso!! O pelicano! Mascote oficial da Ilha!!

Mykonos


Conta a história que um pescador encontrou um pelicano, em 1958 (ou 1954, depende de quem conta), muito debilitado e resolveu cuidar dele. Foi batizado com o nome de Petros e era mantido pelos locais.

Viveu por quase trinta anos alegrando turistas e nativos até ser atropelado, em 1985 (ou 1986).

A população ficou desolada e Jack Kennedy-Onassis (a quem se deve a fama e glamour da ilha) decide, prontamente, presentear a ilha com um novo pelicano batizado de Irene. O zoo de Hamburgo também envia um pelicano que recebe o nome de Petros, the second!

Finalmente, o pessoal da ilha adota um terceiro pelicano batizando-o de Nikolas. Parece que todos passam bem.

Ei-lo!


Se Kos me lembrou Búzios, Mykonos era a essência de Monte Carlo. Caríssimo! Lindíssimo! Sentia medo de olhar para as vitrines das boutiques e me assustar com os valores. Mas a ilha é lindaaa!! Como nas fotos, como eu imaginava.

Tudo muito branco, tudo muito azul, cheio de gatos, cheio de árvores primavera carregadas de flores cor de rosa e vermelhas. É de babar!!

Basta perambular pelas magníficas ruelas, entrar nas igrejas ortodoxas, conversar com o Petros, the second e ir a praia. Só achei ruim estar sozinha. Apesar de gostar, e muito, de viajar só, Mykonos é um lugar para o romance.





 Eu estava numa praia de sonhos, completamente só, as meninas todas de topless!!

Bem, seria o momento? Somente eu com a parte de cima...humm...ninguém conhecido...ninguém fotografando...ah tá bom!!

Ao dar início aos procedimentos, para desamarrar o biquíni, bingo: Dois rapazes se aproximam perguntando seu eu tinha um cigarro.

Eu quis muito que um buraco se abrisse e que eu fosse sugada ao centro da Terra, a jato! Salva pelo gongo!! Melhor não, né? Ah! De topless ou não, Mykonos valeu!

Perrengue no embarque!!!!:



O ferry quebrou. Protestos, quebra quebra, gritaria... Havia um outro ferry, que sairia duas horas depois, mas estava lotado. Quem precisava voltar a Atenas não tinha outra opção, senão embarcar no ferry lotado. Parece que todos precisavam voltar a Atenas.

Éramos 600 passageiros dormindo no chão do ferry, espalhados pelo restaurante, bar, deck... Foi, absolutamente, surreal.

Voltei a Paris e para às aulas de francês. Encontrei-me com o grego, Petros, que me trouxe um outro presente.

Desta vez foi um cinzeiro de cristal com a imagem de Acrópole. Muito bonito não fosse pelas oito pontas em metal em toda a borda do cinzeiro que furaram meus cinco dedos quando tirei da caixa! 

E assim, fui presenteada com dois presentes de grego!

" - KALIMERA, Petros!!"

:)  Fiquei feliz em ter conhecido uma ilha badalada e outra meio que fora do mapa. Fica a dica para médicos e estudantes de medicina passarem por Kos ou Cós e respirarem os ares de Hipócrates!!

A origem da expressão "presente de grego"


“Páris, filho do rei de Troia, raptou Helena – mulher de um rei grego. Isso provocou um sangrento conflito de dez anos, entre os séculos XIII e XII a.C. Foi o primeiro choque entre o Ocidente e o Oriente. Mas os gregos conseguiram uma artimanha histórica para enganar os troianos: 

Deixaram à porta de seus muros fortificados – um IMENSO cavalo de madeira. Os troianos, felizes com o PRESENTE, puseram-no para dentro de seus domínios. E, à noite, os soldados gregos, que estavam escondidos no grande cavalo, saíram e abriram as portas da fortaleza para a invasão, considerada uma das mais engenhosas de todos os tempos.”

Daí surgiu a expressão “PRESENTE DE GREGO”, para tudo aquilo que surpreende negativamente.

Fonte:
http://blog.tribunadonorte.com.br/gramaticando/de-onde-vem-a-expressao-presente-de-grego/536

Você gostou desse artigo?

Inscreva-se e receba notícias, dicas, promoções e muito mais!

Cynthia Camargo é publicitária, agente de viagens, agente internacional e jornalista. Coordena viagens de arte, gastronômicas, de luxo e de incentivo pelo o mundo! Especializada no destino França, é autora do guia Paris Legal, editado pela Best Seller. Trabalha com o turismo de conteúdo há 20 anos e recebeu o prêmio Mulher Influente. Autora do blog de viagens SendoCy, conta suas experiências pelo mundo com dicas e muito humor! Acesse, leia e participe, se inscreva e conte suas histórias! Afinal, todo mundo tem uma história de viagem para contar! Google +