quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A Neve é para todos!

Como não temos neve (aos montes) no Brasil, quando nunca se come doce, quando come, se lambuza...Então minha filha literalmente, comeu neve! E acho que ela tem toda a razão!

Se não colocar na boca, não se jogar, não enfiar a cara e o pé na jaca, não valeu! Fomos até o Chile a fim de obter esta diversão, a pedido dela!

Tivemos dois tipos de sensação. A primeira foi daquelas de filme de terror. Pegamos uma nevasca daquelas que só existem em nossa imaginação. É lindo! Mas ao mesmo tempo tenebroso! Uma vez que não havia saída para escapar da tormenta, o jeito foi registrar o momento!

Farellones y El Colorado



A 32 km e 40 curvas de Santiago, chegamos a uma das estações de esqui mais antigas da América do Sul. O pequeno povoado surgiu por volta da década de 30, já interessados neste vale dos Andes com bons lugares para as pistas. Porém, o local já era utilizado, muito antes disto, por exploradores de tesouros incas. Foi exatamente em Farellones que, em 1954, foi encontrada uma múmia do que seria uma criança Inca. Ela está exposta no Museu de História Natural de Santiago.



O povoado está a quase 2.300 metros de altitude, constituído por 200 casas em estilo suíço, hotéis, restaurantes e onze pistas à disposição de profissionais e amadores.    

Pudemos praticar o tubing (esquibunda para os íntimos).



Um pouco mais acima, está a estação El Colorado que lembra muito a disposição de uma praia. Com deck de madeira com restaurantes e lojinhas enfileiradas de frente para as pistas ao invés da praia! Começou a nevar bem forte e apesar da estação possuir escolas e escolas mirins, além do equipamento necessário, achamos melhor não arriscar.

Para nós, valeu por ter sido a primeira vez da filhota que não aguentando a euforia, se jogava e se esfregava na neve, limpava as mesas, comia floquinhos e a cada vez que entrava no restaurante eu tinha que secá-la no secador de mãos (thank God havia um no toalete). Foram umas 6 vezes de secador....Sim, ela estava com roupa adequada, mas ao se esfregar na neve, ela acabava entrando pela gola no pescoço e pelas botas, molhando as meias...

Desespero de uma mãe
Ela me disse que brincar na neve era mais divertido do que a Disney!!! Sim, esta foto causa aflição em qualquer mãe, mas a alegria dela superou qualquer neurose!

E então chegou o momento das 40 curvas de total adrenalina de volta a Santiago em meio a nevasca! Contamos uma a uma com muita aflição!! Aflição que durou exatas três horas de sufoco! O ônibus escorregava a cada curva como se estivesse perdendo o equilíbrio nos patins...!!



Depois de uma sopa bem quente no hotel, tudo acabou bem! Não, não quero repetir a experiência!


VALLE NEVADO


A segunda sensação foi muito melhor! Com sol! Muito sol!

Fomos para as montanhas do Valle Nevado. A maior estação de esqui do Hemisfério Sul.

Desde a subida, as paisagens são exuberantes. O encanto já começa ao pé da montanha. Nosso motorista colocou Roberto Carlos cantando em castelhano para nos agradar! (?) Nem sentimos as 60 curvas e os 3.000 metros de altitude. Desta vez contratamos um carro com motorista. Chega de ônibus patinando em excursão! Enough!

De qualquer forma é importante considerar que esta estrada não é para motoristas de cidade. Estrada de uma pista só, há restrições de horários para subida e descida. As curvas são fechadas e a um determinado momento é preciso instalar as correntes nos pneus. O carro deve ser um 4X4. Melhor ir com um motorista experiente.






O projeto franco-chileno abre suas portas com o nome de Valle Nevado em 1988. Inspirado na estação de esqui Les Arcs, na França, a nova estação se construiu em um lugar privilegiado na Cordilheira dos Andes. Hoje, o empreendimento é 100% chileno.

Desde 2001  o Valle Nevado se orgulha de seu  teleférico Andes Express, o teleférico mais rápido da America do Sul.

O Valle Nevado não é uma cidade, povoado ou aldeia. É uma estação de esqui com 3 hotéis. Claro que há uma série de restaurantes, bares, pubs, lojinhas, farmácia...mas não é uma aldeia.



Fizemos reservas para nos hospedarmos em um dos hotéis, mas devolveram o dinheiro dizendo que não havia neve suficiente para abrir as pistas e por isto os hotéis não estavam hospedando ninguém.

Depois da frustração inicial, aceitamos que foi um puro golpe de sorte, já que a estação estava agradavelmente povoada. Pouca gente significa um melhor atendimento, lugares para se sentar, nada de filas e toda aquela imensidão branca sem marcas de botas!



Tudo em volta é branco, branco e branco, somente contrastando com o azul do céu.

O que fazer? Ser criança, literalmente! Pular, escorregar e chupar gelo! Fazer boneco de neve, afundar o pé para ver até onde vai, rolar pra valer! Esquiar? Bem, as pistas estavam fechadas (que peninha)! Farei isto só para escrever a respeito da experiência...Mas ainda não foi desta vez! Por enquanto prefiro relaxar sob o sol da neve!






 Água pelando...o problema é sair...

Um destino com neve não deve ser necessariamente para quem sabe ou quer esquiar. A sensação e experiência vivenciada com as paisagens, com a textura da própria neve já é em si o grande barato. Esquiar é apenas um detalhe!! O Valle Nevado é para todos!! Enjoy!!

Time to relax 

Do que você precisa para sobreviver:

- Primeira camada - Segunda pele - blusa e calça especiais- não permitem que você perca calor
- Segunda camada - um blusão de fleece
- Terceira camada - calça e jaqueta impermeáveis próprios para neve
- Acessórios - meias (duas camadas - uma térmica e a outra de lã), luvas para neve impermeáveis, botas para neve também impermeáveis, cachecol e gorros de lã, filtro solar, protetor labial, óculos.
- Para as crianças é melhor um macacão impermeável. Eu peguei emprestado de uma amiga que morava na Suíça!!

Pronto! Pode deitar e rolar...

Você gostou desse artigo?

Inscreva-se e receba notícias, dicas, promoções e muito mais!

Cynthia Camargo é publicitária, agente de viagens, agente internacional e jornalista. Coordena viagens de arte, gastronômicas, de luxo e de incentivo pelo o mundo! Especializada no destino França, é autora do guia Paris Legal, editado pela Best Seller. Trabalha com o turismo de conteúdo há 20 anos e recebeu o prêmio Mulher Influente. Autora do blog de viagens SendoCy, conta suas experiências pelo mundo com dicas e muito humor! Acesse, leia e participe, se inscreva e conte suas histórias! Afinal, todo mundo tem uma história de viagem para contar! Google +