quarta-feira, 26 de julho de 2017

Paraty, a Veneza Brasileira


       Cidade que terei que usar um clichê "à la Gloria Maria" do Globo Repórter: "Única"! Peço desculpas, mas é que realmente não existe uma outra cidade como Paraty.

     Repleta de estrangeiros, que pensam da mesma forma, acredito que aquelas pedras, chamadas de pé-de-moleque, dificultando a caminhada pelas ruas de pedestres, tenham sido providenciais para a conservação desta pérola. Sim, como seres humanos trazemos dinheiro para a roda da economia girar, mas trazemos, também, dano! Não me parece o caso de Paraty e seus 40 mil habitantes .


     Outro fator que confere as delícias de seu entorno é o Condomínio de Laranjeiras, reduto dos mais ricos do Brasil que chegam em seus jatinhos e helicópteros a fim de desfrutar deste pedaço de paraíso. O condomínio ultra chique está a 25 km do Centro, possui 240 casas em terrenos de 1.000 a 2.000 m² e por um condomínio de R$ 7 mil reais por mês oferece campo de golfe, praias quase particulares, piscinas, restaurantes, mercados e marina.

      Marcada pela morte do ministro Teori Zavaski em um acidente de avião, a cidade tem muitas histórias para contar. Fato é que Paraty é uma perfeita cidade cinematográfica que já abrigou 26 longa-metragens e mais de 20 novelas e mini-séries. Não sem motivo!

      Fizemos um "Free Walking Tour" para entender melhor a cidade de Amyr Klink (que tem até um prato que leva seu nome) e encontrar a sua paixão por este pedacinho de terra carioca quase paulista...rsrsrs. Este tour sai, todos os dias, às 10h30, em frente a Igreja Matriz.

     Parati é um peixinho branco, muito comum na região e um segundo "i" foi colocado querendo dizer que "rio". O som e entonação dos dois "is" Paratii tornou-se um "Y", ou "parati do rio" em Tupi.

      A parte histórica da cidade é toda em estilo colonial barroco e tombada como Patrimônio Histórico o que se justifica totalmente! Rota do ouro extraído em Minas levado para o porto do Rio, Paraty tem tudo: frutos caindo das árvores, clima sensacional e chegou a ser a mais higiênica cidade do Império por conta da invasão, periódica, das marés que lavam as ruas. O fenômeno é mais uma de suas atrações e mais uma de suas proteções.



      As casas coloniais, quase sempre térreas, uma ou outra sendo um sobrado e mais raro ainda aquelas com mais um andar em um espécie de torre que servia para avistar algum invasor invejoso daquelas terras encantadas. Suas ruas parecem seguir o estilo romano, mas fazem curvas para que o invasor não consiga enxergar o final dela. Mais uma de suas atrações/proteções.




O número 33


      Fundada em 1667 Paraty tem um história misteriosa que envolve os maçons e sua idolatria pelo número da escala máxima de um Maçon: 33! As casas de Paraty foram construídas na escala
1:33:33. Assim, senão vejamos, em algumas casas e igrejas encontramos as tais teorias de que estes intelectuais formavam um grupo secreto e que se comunicavam em forma de alguns códigos escancarados, ou não, nas fachadas.

símbolos maçônicos na fachada


Lendas da Cidade 

Igreja de Santa Rita
A noiva de Santa Rita


      Conta-se que no século XIX uma noiva morrera poucas horas de subir ao altar. O noivo, no dia seguinte ao enterro,desesperado, pediu para abrir o caixão porque havia sonhado que a noiva lhe pedia socorro. Ninguém acreditou e o pobre infeliz foi internado em um hospício. Desde o acontecido há alguns relatos de pessoas que viam uma mulher vestida de noiva bebendo água do chafariz frente a igreja. Anos depois resolveram abrir o caixão da noiva e ela estava de bruços. Chegaram a conclusão que, de fato, ela fora enterrada viva.

A Divisão da Terra


      Quando Deus distribuiu as terras do mundo o diabo veio reclamar o seu quinhão. Deus apontou um para um pedaço de terra entre a serra e o mar e disse: "Lá, aquilo é para ti".









Pinga  

      Paraty já teve mais de 200 Engenhos de Cana para a fabricação de pinga que foi, no passado, relacionado com o próprio nome da cidade quando as pessoas pediam uma dose de Paraty. Hoje existem apenas 5 delas sendo a mais famosa a cachaça Gabriela, misturada a cravo e canela, que deve-se provar, obrigatoriamente, uma vez em visita à cidade. O drinque a ser provado é o Jorge Amado que leva a cachaça Gabriela e suco de maracujá e limão. 



      Há uma casa que tornou-se ponto turístico por pertencer ao príncipe brasileiro, bisneto da Princesa Isabel, Tataraneto de D. Pedro II: Dom Joãozinho, como é conhecido na cidade, mora ali em uma casa colonial frente ao mar e ainda possui uma pousada linda próxima o Centro Histórico. O príncipe costuma abrir as portas de sua residência durante a FLIP (Feira Literária Internacional de Paraty) oferecendo um almoço para os escritores.  


Casa do Príncipe Dom João de Orléans e Bragança - ₢ pedro preturlon
Pousada do Príncipe










Passeio de Barco em Paraty 

      Oferta de passeios em Escunas, lanchas, Jipes e barquinhos de pescador não faltam. Vale a pena conversar com os barqueiros do cais e negociar um bom preço para ter seu tour privativo e apreciar o passeio de acordo com a sua vontade e tempo. Apesar dos barquinhos serem ultra simples, para mim é um luxo tê-lo como privativo e um luxo maior ainda contribuir com o trabalho dos caiçaras!







Onde Comer em Paraty




      Simpatia, bom serviço, porções generosas, cortesia máxima, decoração inspirada, iluminação especial, excelente música e comida com sabor! Tudo isto em endereços indispensáveis para comer e desfrutar em Paraty.



Margarida Café

      De pratos bem elaborados a sanduíches (fabricação própria dos pães) e pizzas, ambiente animado, arrojado e com música ao vivo com serviço ultra simpático.


Benditas

      Minha filha é viciada em Lula "à doré" e portanto conhecemos as porções de diversos restaurantes e podemos afirmar que foi a melhor porção de Lula que já provamos. Música ao vivo da melhor qualidade, caipirinha excelente. Infelizmente não provei o bolinho de feijoada, mas fica a dica.




video


Refúgio

      Ambiente maravilhoso com pé na areia, happy-hour 2 caipirinhas a preço de 1 e moqueca para dois é um daqueles lugares para ficar e esquecer! Praça da Bandeira, 4 


divulgação

Café Paraty
      Uma opção super bem servido: pescada com molho de camarões, arroz e fritas!



      Me parece ser o mais típico e conhecido da cidade por servir o prato, tipicamente caiçara, o peixe com banana da terra. 

      No geral come-se bem em qualquer lugar, há muitos e muitos restaurantes, bares e cafés em todas as dez ruas do Centro Histórico,mas não dá para dizer que é barato! Não é, mas Paraty é um daqueles lugares que vale a pena! Se quiser economia mesmo, atravesse a ponte e como que por milagre os preços baixam para o valor de um PF, além de barraquinhas que vendem quitutes de todos os tipos.

Onde ficar em Paraty


      Pousada charmosa em Paraty é o que não falta. De caras e pomposas a despojadas, todas elas estão no Booking.com com promoções relâmpago. Eu sou uma pessoa que necessita um local com visual bonito. Pode ser simples, sem luxo algum, mas precisa ter charme e bom atendimento. Observo as promoções, mas sempre analisando bem as fotos das pousadas.

      A mais bonita, na minha opinião, é a Pousada do Sandi com preços que começam com R$ 450,00 a diária do apartamento com café da manhã e é a melhor localizada dentro do Centro Histórico podendo esquecer-se do automóvel por uns dias.

      Já a Pousada do Cais oferecem alguns quartos com sacada e vista para o mar a partir de R$ 300,00. 

Pousada do Sandi - Divulgação

Pousada do Cais - Divulgação

Se busca por economia basta sair do Centro Histórico e "puft" os preços despecam! Há de tudo, porém! Verifique os comentários no Trip Advisor e olhe bem as fotos.


Compras

Artesanato de primeira, primorosos e perfeitos em cores e formas  para vestir, calçar e enfeitar pessoas e lares!


Panos e Cheiros: Adorei as batas, vestidinhos, calças e blusas desta loja! Rua Ten. Francisco Antonio, 26

Estilo Brasil Paraty: Tem tudo. De móveis a guardanapos de chita! Tudo colorido, charmoso e encantador. 8, Praça da Bandeira





Pontos negativos 

      A iluminação de Paraty, à noite, dá o toque romântico e aconchegante das suas luzes alaranjadas o que confere um clima todo especial de bem-estar. Infelizmente, alguns estabelecimentos da cidade adotaram a luz branca fluorescente  o que, para mim, é uma agressão aos sentidos. Me sinto mal, em um hospital, as pessoas ficam esverdeadas e a comida me parece sem graça. Na verdade, em termos de economia, há no mercado luzes de led e também versão amarela da lâmpada fluorescente.

      Tentamos ir a um novo restaurante em Paraty com excelente preço, mas ao entrar e ver a luz branca saímos em disparado. Uma pena!  

 

      Outra coisa que não gostamos foram os doces vendidos em carrinhos espalhados por todo Centro Histórico: Não são saborosos e joga-se fora R$ 6,00


Charretes: Mantenho a esperança de que um dia isto acabe!   


Pontos Positivos


      Há mais de 15 anos visitei Paraty e tive uma discussão bem feia com o veterinário da prefeitura por ter negado socorro a um cachorro de rua, que estava sangrando, além de ter discutido com o dono da pousada por prender seu cachorro em um cubículo no escuro o tempo todo. Confesso que cheguei na cidade com medo do que iria encontrar e para a minha feliz surpresa percebi que os vira-latas estão muito bem. Gordinhos, saudáveis e alegres!










      Se estiver vindo de São Paulo sugiro seguir nosso roteiro parando em Aparecida do Norte e seguindo em direção a Serra Cunha-Paraty para visitar o Lavandário (campos de lavanda de Cunha), mas com atenção redobrada à direção.

O Lavandário - foto divulgação

Este post é dedicado à minha colega de escola e faculdade, que faz parte do Patrimônio de Paraty encantando olhos alheios com suas fotos extraordinárias em sua conta no Instagram: @gabrielaklink 


Você gostou desse artigo?

Inscreva-se e receba notícias, dicas, promoções e muito mais!

Cynthia Camargo é publicitária, agente de viagens, agente internacional e jornalista. Coordena viagens de arte, gastronômicas, de luxo e de incentivo pelo o mundo! Especializada no destino França, é autora do guia Paris Legal, editado pela Best Seller. Trabalha com o turismo de conteúdo há 20 anos e recebeu o prêmio Mulher Influente. Autora do blog de viagens SendoCy, conta suas experiências pelo mundo com dicas e muito humor! Acesse, leia e participe, se inscreva e conte suas histórias! Afinal, todo mundo tem uma história de viagem para contar! Google +