terça-feira, 26 de agosto de 2014

Borgonha! O coração da França!

Certamente você já provou uma mostarda de Dijon, um escargot, um Kir ou quem sabe um Chablis? Melhor, já provou um creme de papaia com cassis? Sabe de onde vem?

Considerada o coração da França, a Borgonha pode ser traduzida pela sua cozinha e vinhos, além de um passado de contos de fada com os Duques de Borgonha que eram, em sua época, considerados mais importantes do que os reis da França.


As paisagens, a rota dos vinhos, castelos e abadias nos levam de volta à época de grandes banquetes reais...

A região é habitada pelo homem há mais de um milhão de anos. Traços de sua presença remontam 300.000 a.C. Isto mesmo, desde o Homo Erectus, antecessor do Homo Sapiens.



Após o domínio do Império Romano e diversas guerras sangrentas, a Borgonha começa a florescer com seus Duques entre os século XIV e XV. A região foi unificada à França com a morte do último grande Duque.

O Ducado deixou, porém, traços de reinado absoluto e extremamente refinado desde a Idade Média até a Renascença.

Hoje a Borgonha também é conhecida por produzir um dos vinhos mais caros do mundo, o Romanée-Conti.  


Os Símbolos da Borgonha! Sabe quais são? Além do vinho, vamos ver outros?


A Mostarda


Conhecida deste a Idade Média, a mostarda de Dijon não é um condimento insípido, mas um condutor de apetite. Ela resulta da trituração dos grãos negros e marrons, que depois de passados em uma peneira, são misturados a uma emulsão de "verjus" (vinho branco bem verde). Os grãos e quase toda a produção francesa da mostarda vem de Dijon, sendo sua característica, um condimento extremamente forte.

A mostarda pode ser misturada a diversos ingredientes como o cassis, roquefort, pimenta, etc. Mas a vedete das mostardas é a Moutarde à

l´ancienne, sem ser peneirada, contendo os grãos inteiros.


O Escargot


Este molusco é encontrado na Borgonha desde a época Galo-Romana, como fóssil, nas escavações arqueológicas, se tornando uma espécie de emblema que representa a região em desenhos nas pedras das casas, nos chocolates, nos típicos pães d´épice. Os vinicultores costumam se reunir durante o trabalho para degustá-lo.

O escargot pode ser preparado de várias maneiras como, omelete, beignet, à la dijonnaise, à la chablisienne. 


O Cassis

É um arbusto. Sua frutinha é muito utilizada para geleias e o famosíssimo creme de cassis da Borgonha, utilizado no Brasil para a sobremesa creme de papaya com cassis.

O cassis também é utilizado no drinque Kir, misturado ao vinho branco ou Kir Royal quando misturado com champagne. Ao final deste post há um link que leva para a história do Kir, drinque também originário da região da Borgonha






Os Telhados de Beaune


Com uma forte e evidente influência flamenca data da época em que a Borgonha e a Bélgica foram unificadas. Os telhados do Hospices de Beaune (antigo hospital para pessoas sem recursos) se tornaram uma das marcas da Borgonha.

São feitos em cerâmica, com desenhos de mosaicos coloridos que enfeitam, alegram e encantam, conferindo um charme singular à cidade.



Dijon




Residência da prefeitura da Borgonha, capital da mostarda e capital dos Duques de Borgonha, onde podemos encontrar o seu palácio e visitar suas tumbas.

Dijon é, internacionalmente, conhecida pela sua mostarda e é muito frequentada por estudantes e turistas durante todo o ano. 


Charmosa e com um excelente comércio, a cidade alia o status de grande capital ao charme de uma pequena aldeia.


Vézelay



A Unesco elaborou uma lista dos santuários de nossa civilização: Vézelay consta como um dos primeiros da lista.

A cidade viveu seu apogeu entre os séculos X e XIII, quando centenas de milhares de peregrinos, príncipes, reis e imperadores a visitavam para venerar as relíquias de Maria Madalena, antes de partirem para Santiago de Compostela, ou alguma cruzada. Isto foi suficiente para que a aldeia se inscrevesse, para sempre, na história do Ocidente.  


Os Castelos

Vou citar dois aqui onde fiquei hospedada com o grupo!



Chateau de Chailly

Nome de origem celta, no século XII foi um forte com modestas proporções, ocupado hoje pelo atual castelo que, desde o século XV,  habitado por nobres de várias gerações. 

Foi vendido cinco vezes até que, em 1987, tombado como patrimônio histórico. É um hotel 5 estrelas!

Chateau de Gilly

Antiga abadia do século XII. Em meio a vinhedos foi reformado e hoje é um hotel extremamente luxuoso, sem perder seu ambiente medieval. 

A sala onde é servido o café da manhã é classificada como monumento histórico por causa do teto,  pintado à mão.



O restaurante do hotel fica no subsolo em uma impressionante sala gótica, servindo o que há de melhor, em termos gastronômicos. Sua adega é uma das mais ricas da região.






Fontenay



Fundada por São Bernardo, em 1119, Fontenay é uma das abadias mais bem conservadas da França. Uma perfeição da arte romana, classificada como patrimônio mundial pela Unesco.
 www.all-free-photos.com.



Clos de Vougeot





Devido a uma crise no mercado do vinho, na década de 30, em Nuit-Saint-Georges, os viticultores criaram a Confraria dos Cavaleiros do Tastevin

Uma vez que ninguém comprava os vinhos, convidavam amigos e bebiam juntos. Estes amigos acabaram se tornando seus melhores clientes.


Isto tudo é feito neste antigo chateau de monges que, hoje, é a sede da Confraria e aberto ao público para visitas. Há uma entronização, uma espécie de encenação inspirada em Molière, onde convidados são batizados "bourguignons" com a benção de Noé, Baccos e São Vicente! Há muitas confrarias hoje em dia, mas tudo começou aqui.



Behind the Scenes




Eu queria dirigir pelas estradas encantadas, mas três homens se revezavam na direção alimentando, mais ainda, a minha vontade aliada a um sentimento feminista, daqueles de subir no palanque, porque riam quando eu pedia para dirigir... 

Bem, podemos dizer que, desta vez, o universo conspirou ao meu favor:


chef que nos acompanhava nos convidou para visitar a casa de seus pais, em uma vila perto dali. Iriamos almoçar por lá e ele ficaria uns dias com os pais dele. 


Conhecer a casa do chef já foi um momento especial. Sentar-me ao lado de seu pai, passear pelo quintal de sua mãe, onde ela tinha uma árvore com a frutinha cassis, observá-la no manuseio e ainda a ternura em me presentear com uma garrafa de creme de cassis foi encantador. Ela cozinhou, o pai bateu papo e almoçamos em um canto remoto e encantado da França, numa tarde de domingo, de maneira singular, apesar de meu plano maléfico! 

Ah, sim! Eu tinha um!! Aquele carro e eu!

O nosso anfitrião já havia voltado à Paris, de trem, o chef ia ficar na casa dos pais... 



Nosso diretor de marketing se animou no vinho e, entre um causo e outro, já era o melhor amigo de infância do pai do Emmanuel, enquanto eu fiquei tomando uma espécie de refresco a base de groselha e atenta ao copo do Roberto, a fim de ter certeza de que ele sairia de lá bem contente!

Et, Voilá! Ele deitou o banco e dormiu o sono dos justos! Eu liguei o rádio e saímos de Auxonne com destino a Paris! Só que não!

Roberto, atônito, percebeu, horas depois, que estávamos indo em direção à Alemanha! Oi?
Ah, tá! Me empolguei um pouco! Que é que tem, gente?  



Mas, voltando à Borgonha, meses depois, levei o primeiro grupo gastronômico assinado por um chef para a França, com o patrocínio da Visa, Citybank e da Tam!



Deu tudo certo! Não perdi ninguém, eles ficaram embasbacados com os castelos escolhidos, os pratos, passeios de balão e de bicicleta pelos vinhedos  e saímos até na Revista Época, no Estadão e na Forbes


Dez casais, ultra charmosos, e o homem da mala preta: Um senhor que veio sozinho e que andava com uma mala grande e preta em todos os passeios!! Perguntamos o que ia lá dentro, mas ele não disse! 



Leia sobre o dia em que o grupo se encontrou, para o último almoço, comandado pelo chef, além dos outros roteiros por Bordeaux, Alsácia, Provence e Champagne!

Que marrravilha! Troisgros
Se esbaldando em Bordeaux
Alsácia   
Os símbolos da Provence

Mais detalhes sobre:
Vezelay
A história do Kir Royal
De onde vem o Cognac?

Adorou? Reserve agora!



Você gostou desse artigo?

Inscreva-se e receba notícias, dicas, promoções e muito mais!

Cynthia Camargo é publicitária, agente de viagens, agente internacional e jornalista. Coordena viagens de arte, gastronômicas, de luxo e de incentivo pelo o mundo! Especializada no destino França, é autora do guia Paris Legal, editado pela Best Seller. Trabalha com o turismo de conteúdo há 20 anos e recebeu o prêmio Mulher Influente. Autora do blog de viagens SendoCy, conta suas experiências pelo mundo com dicas e muito humor! Acesse, leia e participe, se inscreva e conte suas histórias! Afinal, todo mundo tem uma história de viagem para contar! Google +